Crises são uma parte natural da vida: inevitavelmente passaremos por elas, em quaisquer áreas, profissional ou pessoal. Nos negócios, diz-se que a crise é uma oportunidade de crescimento. Este conceito é muito bonito na teoria, mas como aplica-lo? Como traduzir isto para uma realidade prática, no dia-a-dia?

Homem em crise com notebook

Crise: o que fazer?…

Se a crise é o perigo, as oportunidades que ela gera são a solução. Mas, infelizmente, esta não é a primeira reação da grande maioria das pessoas. A tendência ao medo, comodismo, reclamação e projeção externa (“culpar o sistema, o governo, o universo”) é forte, e torna-se gritante em momentos de dificuldade.

Sem contar a atração que os boatos exercem nestas situações, aumentando a ansiedade e desespero, nos levando a decisões de emergência, sem clareza, e sem o foco no crescimento sustentável do negócio.

Aliás, um dos segredos para o crescimento de um negócio (o oposto de “crise”) é que ele seja sustentável. Um negócio sustentável necessariamente passa pela aplicação de práticas saudáveis. Para citar algumas:

  • As despesas devem ser menores que a receita;
  • Ter um pós venda de qualidade: para vender mais aos clientes já captados, conquistar e manter boa reputação;
  • Manter a visão de negócio em mente: mesclar ações e investimentos de curto prazo com os de longo prazo.

Esta última prática merece uma atenção especial. É comum, em tempos de crise, pensar, como primeira opção, em diminuir a produção, demitir funcionários, ou deixar de investir no marketing. Cortam-se os panfletos, os anúncios no Google e no Facebook.

Contudo, isto é exatamente o oposto que ter a visão de negócio em mente. É fácil pensar em cortar gastos, o difícil é acertar em quais gastos devem ser cortados. Neste momento, ter a visão em mente o ajudará a mesclar ações urgentes com as ações prioritárias – aquelas que realmente são importantes.

Usando o exemplo do marketing, ao cortar os anúncios, você é menos visto, menos lembrado. Consequentemente, venderá menos – não apenas durante a crise, mas este efeito será percebido durante um bom período após a crise ter passado. E recuperar a atenção de um consumidor custa caro, mais caro que manter-se sempre na memória dele.

Um exemplo prático de solução que o digital pode oferecer é a quantidade de técnicas de marketing disponíveis, a custo acessível. Por exemplo, se existe a urgência em cortar os investimentos em anúncios no Google pela metade, sua equipe pode dedicar tempo para escrever artigos em seu site, utilizando o chamado marketing de conteúdo. É fácil encontrar cursos – gratuitos ou pagos – sobre o tema. E a um custo bem acessível.

Tudo o que você precisa é manter um olho na urgência (crise e ações urgentes, de curto prazo), e outro no que é realmente importante (ações importantes, de longo prazo). Ou seja, manter a visão de negócio sempre em mente.

Desta forma, você terá clareza para melhores decisões e garantirá que seu negócio continue focando no crescimento sustentável e contínuo.